top of page

ACRÓSTICO 9


Capa Acróstico
Acróstico



Presley estava tentando resolver o estacionamento noturno de seu carro junto ao balcão da recepção, quando percebeu que Seven, a recepcionista, estava dando mais uma olhadinha por cima de seus ombros.


Então, acompanhou o olhar dela até o sofá do outro lado da recepção. Hanni estava sentada, com Aika no colo, enquanto Pipe fazia uma coreografia que havia aprendido mais cedo, e as três pareciam estar se divertindo absurdamente com aquilo. Os sorrisos abertos, Hanni e Aika seguindo o ritmo, Pipe feliz dançando, Aika feliz de estar a vendo dançar, e Hanni rindo demais porque ela era uma idiota que ria por tudo, palavras dela mesma, fato que estava sendo provado bem ali, na frente de Presley.


Ela estava rindo empolgada, aquele sorriso lindo e aberto, parecendo uma das crianças, se divertindo demais com uma coreografia bonitinha, e Presley achava muito doce que ela fosse simples de se fazer feliz. Ah, ela também estava batucando os dedos no esterno de Aika, o que estava fazendo sua filha rir demais. Hanni estava... batucando o ritmo? E Seven não parava de olhar.


— Seven...?

— É filha dela?

— A pequena dançarina é sobrinha.

— Não, a que está no colo, é filha dela?


Presley a olhou diretamente.


— É minha filha, aquela é a minha Aika!

— Oh! É que ela se parece muito com a modelo. Vocês duas...? — Ela apertou as sobrancelhas, pensando — As lésbicas fazem diferente, não é? Uma criança?

— Ai, meu Deus...!

— Você é casada! Mas realmente não sabemos com quem. Eu estava pensando nisso mais cedo, e a menina realmente se parece muito com a modelo — Ela parecia intrigada pelo fenômeno.

— Obrigada, eu acho. Mas sou casada, e não é com a Hanni.

— Hum, sua filha é linda! E você é linda, Presley, não é à toa que dizem que o embaixador te contratou pessoalmente porque queria uma musa para a embaixada.

— Para que as pessoas dizem isso?! Sou fofoca aqui dentro...?

— Você está por fora, né? O embaixador não contrata ninguém ele mesmo! Ele te viu aqui na recepção esperando pela entrevista com a GRH e quis conversar com você pessoalmente. Ele estava buscando um rosto para cá, viu o seu, foi assim — Abriu um sorriso, porque o sorriso das três naquele sofá estava contagiante demais — O que ela está fazendo?

— Acho que ela está... — Presley olhou melhor, tentando entender — Tapeando a música para a Aika.

— Tapeando...?

— Aika é surda, ela está tapeando para que ela possa sentir a música.


Silêncio, era isso mesmo. Hanni estava entoando a melodia e tapeando em Aika, enquanto Pipe seguia dançando. Em seguida, Aika desceu do colo de Hanni, que saiu do sofá e se abaixou à frente dela, combinando algo com as duas. Pipe mostrou alguns movimentos para Aika, e Hanni começou a contar, marcando a melodia nos dedos e mostrando uma contagem de um a oito. Ela movia as mãos na melodia da música, e Aika começou a dançar ao lado de Pipe, com ritmo.


— Ok, isso é muito fofo — Seven decretou, sorrindo.

— Ela... — Presley abriu um sorriso, o primeiro largo e genuíno sorriso do dia, os olhos fechando de felicidade — Hanni, ela está...?

— Dançando Flower, vem ver daqui! — Ela seguia sorrindo, pura empolgação, como se estivesse vendo a coisa mais legal do planeta.


E ela estava mesmo.


Presley correu e se abaixou ao lado dela, vendo a tal coreografia de frente. Aika estava fazendo muito certinho, com ritmo, empolgada demais ao lado de Pipe, enquanto Hanni sinalizava os compassos e cantava para elas.


Kkochyanggiman namgigo gatdanda! — E elas terminaram, felizes da vida. Pipe abraçou Aika, saltitando demais. Agora, tinham duas adultas ajoelhadas na frente de duas crianças que estavam dançando um hit do k-pop na recepção da Embaixada da Coreia do Sul na Nova Zelândia.

— Filha, você está dançando, está dançando! — Presley sinalizou para ela, com os olhos brilhando.


E Aika veio até ela e tapeou a melodia no esterno de Presley, do jeito que Hanni estava fazendo com ela, muito certinho, tanto que reverberou por dentro demais.


”. Ela sinalizou, “flor”, “flower.


— É como... uma bateria — Presley falou para Hanni.

— É como uma bateria, um tambor, esse ponto aqui — Tapeou o esterno de Presley também — Ressoa demais, é como uma caixa de som interna. Então, ela pode sentir a música se a gente tapear o compasso certinho. Muito legal, não é?


Isso era mais do que legal. Presley ficou sentada no chão, cruzando as pernas, Hanni fez o mesmo. Presley estava vestida inteiramente de maneira executiva, enquanto Hanni estava despojada, no entanto, visualmente combinavam.


— A minha filha ouviu uma música.

— Ela... ouviu, sim — Hanni não parava de sorrir — Não existe só um jeito de se fazer as coisas, ela ouve de outras formas — Hanni, delicadamente, puxou Presley para perto, notando algo — Não chore, ok? — Recostou sua cabeça na dela, e Presley sorriu.

— Ok, já foram muitas lágrimas essa semana — Respondeu sorrindo.

— Semana difícil?

— Um pouco — E Seven a chamou de volta — Só um minuto.


Foi até a recepção, a autorização havia sido concedida.


— Presley?

— Oi...

— Vocês meio que combinam, não é?


Presley sorriu.


— Você acha?

— Eu acho.


Assinou um documento, despediu-se de Seven, e Hanni já estava esperando na porta, segurando a mão de Pipe e com Aika no colo. Ela não queria soltar Hanni nem por um instante.


— Pronta?

— Pronta! — Presley pegou Pipe no colo, de surpresa e fazendo-a rir — Sorvete?

— Sorvete! — Ela respondeu, rindo muito. Em seguida, tocou o ombro de Aika, atraindo seu olhar naquela direção. Pipe sinalizou "sorvete", surpreendendo Presley — Ela...?

— Aika ensinou para ela como era sorvete mais cedo; ensinou um monte de coisas. Elas aprendem bem rápido uma da outra.


E lado a lado, elas foram caminhando para o carro de Hanni.


Presley colocou Pipe no chão, levando-a pela mão. Estava de jeans, coque bagunçado, blusa preta de manga longa com gola alta e um terninho por cima. Hanni segurava Aika no colo, vestindo calça de ioga, camiseta, boné e chinelos. Ela era brasileira, a Coreia que lutasse, mas aquela ali era brasileira, e nada nela negava.


Foram para uma sorveteria perto da praia, porque as meninas queriam ver o mar. Pegaram sorvete para todas, e as crianças ficaram numa mesa só delas, porque tinham um jogo de tabuleiro para brincar. Presley e Hanni pegaram a mesa ao lado. Falaram um pouco sobre o dia de Presley, sobre as coisas que haviam acontecido, então houve um silêncio entre elas.


Levaram colheradas de sorvete para a boca, e Hanni olhou para Presley.


— Você deve estar se perguntando por que demorei tanto para ligar, não é?

— Bem, eu meio que imagino o motivo.

— O que você está imaginando?


Presley buscou os olhos dela, soltou o cabelo rapidinho, correndo os dedos pelos fios claros e jogando para trás.


— Deve ser pelo que aconteceu, algo que não deveria ter acontecido. Você deve ter se arrependido.

— Presley, eu não me arrependo — Disse, tocando a mão dela sobre a mesa por um instante — Eu quis tudo o que aconteceu, e eu espero que você... — Ela desviou o olhar — Tenha desejado tanto quanto eu, porque eu desejei pra caramba!


Presley olhava para ela, abriu um sorriso, aquele sorriso lindo que ela tinha.


— Você tem alguma dúvida? Pergunta para a sua coxa — Disse, sabendo que ela ia rir. Rir, ficar vermelha, ela era uma graça envergonhada.

— Não me lembre dessa parte, isso está bem vivido na minha mente de graça o tempo inteiro.


Olhos nos olhos.


— Você tem pensado naquela noite...?

— Você sabe que sim, Presley. É como se... a semana toda que a gente teve levasse invariavelmente até aquele momento. Você não sente assim?

— Eu sinto exatamente assim. Tive que falar com uma amiga e expliquei para ela exatamente desta forma. Não era como se houvesse outra coisa que devesse acontecer — Presley buscou os olhos dela outra vez — Hanni, por que você demorou tanto para ligar?


Hanni empurrou sua tigela de sorvete.


— Só um minuto, eu vou pegar um café, você quer? — Hanni estava nervosa, Presley percebeu.

— Quero sim.


Ela foi até o balcão, pegou dois cafés para elas, verificou as crianças - elas estavam ótimas - e voltou para a mesa.


— Seu café.

— Obrigada — Com leite, do jeito que Hanni já sabia que Presley gostava.

— Então, por que demorei tanto. Quando percebi que você havia esquecido o celular, sabia que precisava devolvê-lo. Claro, poderia ter pedido a algum entregador que fizesse isso, mas... eu precisava te ver. Não sabia como você estava após ter ido embora. Precisava saber se estava bem. Então, fui eu mesma, mas você não estava, e eu

estava atrasada. No entanto, você já estava com o seu celular novamente e curtiu a postagem que fiz. Não deveria estar irritada comigo. Isso me acalmou, mas minha mente continuou viciada. Tenho uma mente que se vicia nas coisas, Presley, e ela está bem viciada em você. Mas... eu não posso ter você. Você é casada e eu...

— Tem alguém, não tem?


Ela olhava para a xícara de café entre as mãos.


— Eu... estou com frio. Acho que foi o sorvete. Vou...

Honi... — Presley segurou a mão dela, impedindo-a de se levantar. Em seguida, tirou o terninho que estava usando e o passou para Hanni — Vista, vamos.


Hanni vestiu, respirou fundo e...


— Esse seu perfume... — Foi imediatamente envolvida por ele.

— Não parece que eles combinam? Voltei para casa cheirando a nós duas.


Olhou nos olhos lindos dela. Hanni estava nervosa, mas Presley parecia relaxada. E ela estava, relaxou só de estar nos braços de Hanni novamente.


— Eu dormi cheirando a nós duas, não tive coragem de tomar banho, não queria... que saísse de mim. Enfim. Eu devia ter falado para você sobre não estar totalmente livre, mas, de alguma maneira, não falei. Isso só fica claro para mim que eu tinha más intenções desde o começo, e me sinto tão culpada por isso que...


Presley riu, pegando a mão dela sobre a mesa e puxando-a para si, deixando um beijinho nos dedos dela. Ela era tão doce que nem sabia.


— Você se sente culpada por ter tido más intenções comigo?

— As piores que você pode imaginar. Presley, nós ficamos no meio da rua.

— Eu sei, algum vizinho seu...?

— Apenas um, Sasha, meu vizinho do lado, que me olhou no dia seguinte tipo: "Por que você não usou o seu quarto...?", mas ok.

— Mas, e a sua namorada...?

— Ela não é exatamente minha namorada, nós não estamos oficialmente juntas, mas...

— Quanto tempo vocês estão não oficialmente juntas?

— Faz uns seis meses, mais ou menos.

— Alexia?


Hanni a olhou, surpresa.


— Como você sabe?

— Eu sei, Park Manu, eu só sei. Sou boa em saber determinadas coisas. Eu nem sei como aceitei te enviar para a escola da Aika, cheia de mães que querem atenção.

Para! — Hanni agora estava rindo, Presley havia conseguido relaxá-la um pouco, era o que queria — Não é assim. E, duas mães me ajudaram a encontrar a Aika.

— Tão solícitas, eu não aguento. Ela ficou feliz quando te viu, não ficou?

— Eu fiquei mais feliz do que ela, se duvidar. Senti tanta falta dela, Presley, fiquei esperando que vocês aparecessem na segunda para treinar.

— Como? Eu não iria conseguir te olhar na segunda, não sabia se você queria olhar para mim. Eu... te deixei marcas, não deixei?


Hanni sorriu.


— Fiquei três dias de cachecol, disse que estava resfriada.

— Alguém acreditou? Fez tanto calor esta semana — Perguntou, rindo.

— Provavelmente não, eu sou uma péssima mentirosa. E é por isso que não adiantava eu vir aqui, tentar mentir para você. Achei melhor só dizer tudo e ver como lidaremos com isso, porque... — Ela ergueu os olhos para Presley — Eu não consigo ficar sem te ver, ou ficar sem falar com você. Foi bem ruim.

— Foi bem ruim para mim também, acredite. Eu não quero ficar longe de você, e a Aika... — Respirou fundo, olhando para sua menina por um instante; ela e Pipe jogavam algum jogo em que estavam bem concentradas — Se a gente não se entendesse, você e eu, ainda teríamos que fazer isso por ela. Ela falou de você a semana inteira, chorou nos dias do jiu-jitsu, mas eu não podia só deixá-la na porta da academia com um bilhete pedindo que fosse entregue a você.

— Na verdade, você podia. Eles a entregariam para mim — Abriu um sorriso — Mas não tinha que ser assim. Você podia ter ido. Eu precisava tanto te ver.

— Mas não me ligou.

— Não, não sentia que tinha o direito, ou se era a coisa certa a fazer.

— Você... é muito correta, não é?

— Eu tento ser, não machucar ninguém, não me machucar. Você... — Respirou fundo, olhou para ela — Teve algum problema com...? — Era com o marido, e Presley já havia percebido que Hanni tinha uma enorme dificuldade com essa palavra.

— Não, ficou tudo bem, eu só... — Longa respiração de Presley também — Eu nunca fiz nada assim antes. Minha mente ficou muito bagunçada e, ao mesmo tempo, entrei em abstinência. Levei tanto tempo para encontrar alguém que valha a pena manter na minha vida, na vida da Aika, então joguei tudo para o alto quando te beijei daquela forma.

— Eu quis o beijo. Todos eles. Presley, eu só não quero perder a nossa amizade.


Amizade. Doeu um pouco.


— Eu... menos ainda.

— Você acha que a gente consegue?


Era uma proposta de amizade mesmo. Presley não sabia o que estava esperando, mas...


— Sim, com certeza — Abriu um falso sorriso, olhando para baixo — Nós já éramos amigas, uma noite não pode arruinar o que já existia. Somos duas adultas, estamos cientes do que fizemos, enfim. Nós já temos... laços.

— Pipe chorou na segunda e na quarta por causa da Aika. Eu também chorei um pouquinho. Motivos variados.


Presley riu.


— Será que são tão variados quanto os meus?

— Me fala sobre os seus motivos.

— Não, nunca, de jeito nenhum! — Ela jamais saberia todos os motivos pelos quais Presley havia chorado, de saudade a tesão — Obrigada pelos presentes.

— Você gostou? É a fragrância certa, não é?

— É, é sim.


Silêncio. Hanni o quebrou.


— Presley, prometa que vai me ligar sempre que precisar de alguma coisa? Qualquer coisa para a Aika, para você, que você não esteja encontrando uma solução, promete? Você estava tão estressada hoje que deu para sentir só no jeito que disse o meu nome.

— Ah, Hanni, eu estava sob pressão no trabalho e...

— Eu vi você interpretando — Ela confessou sorrindo.

— Como assim viu?

— Pelo Instagram da embaixada, ouvi a sua chefe falando e quis assistir enquanto ia buscar a Aika. Você estava linda.

— Eu estava nervosa.

— Se estava, não deu para notar. Escuta, o que você fará amanhã?

— Amanhã? Nada de interessante, na verdade.

— A minha graduação será amanhã, lembra que havia falado com você?

— Sim, sim, que tem a possibilidade de você avançar para a faixa marrom.

— Isso. Será na academia que treino, também fica no centro, começará às duas da tarde, e eu gostaria que você fosse. Que levasse a Aika. A gente poderia, não sei, sair para almoçar, então ir buscar o seu carro na embaixada e ir para a graduação. Se você não tiver nenhum compromisso, é claro.

— Hanni, você já sabe que eu não tenho muita coisa para fazer na minha vida monótona.


Hanni riu.


— O que aconteceu com o seu Instagram?

— Uns cinco mil pedidos para seguir!

— E o que você fez?

— Nada. O que posso fazer? Deixar essas pessoas seguirem a minha conta doméstica e sem graça? De jeito nenhum!

— Vi os comentários na postagem da Diesel, as pessoas queriam saber quem você era. Você notou que eles não postam não-modelos, não notou?

— Eu, na verdade... não me dei conta.

— Eles não postam. Mas gostaram de você, das nossas fotos, me perguntaram se tudo bem, eu acabei dizendo que sim, mas não imaginei que seu Instagram seria caçado dessa forma. Abra a conta, Pres.

— Mas não tem nada na conta, Hanni.

— Poste algo, nós tiramos tantas fotos no evento. Deixe as pessoas decidirem se querem te seguir ou não. Você me disse que quer ser mais independente, não é?

— Sim, eu preciso disso.

— Kaori tem feito dinheiro pelo Instagram e pelo TikTok. Se você quiser, eu te ajudo a produzir alguns conteúdos, até você compreender melhor como funciona. Só pense nisso, pode ser divertido. Então, você me acompanha amanhã?


Presley olhou para ela.


— Claro que sim.


Ficaram um pouco mais na sorveteria e, em seguida, foram até a praia, onde as crianças se divertiram um pouco mais com a coreografia que Aika estava aprendendo. Hanni notou que, em apenas dez minutos, Presley já havia aprendido.


— Ela vai me pedir para fazer com ela.

— E você pegou tão rapidinho.

— Ah, eu fazia isso todos os dias, Hanni. Era boa nisso, me apresentava. A Escola de Artes de Seul fez um ótimo trabalho comigo — Respondeu sorrindo. Estavam sentadas na areia; o sol já havia partido, a lua reinava no céu, e uma brisa suave soprava.

— E você não sente falta?


Presley respirou fundo.


— Sinto saudade, mas, ao mesmo tempo, a minha relação com a música meio que se quebrou por causa da Aika. Não me sinto bem fazendo coisas que ela não pode fazer.

— Como dançar.

— Isso, como dançar.

— Mas ela dançou hoje. Está dançando agora, bem na nossa frente.


Estava. Uma coisa que Presley jamais pensou que pudesse acontecer.


Perto das nove da noite, Hanni estava estacionando em frente à casa de Presley.


— É ridiculamente perto da minha casa.

— Somos quase vizinhas — Presley respondeu, sorrindo.

— Pres, obrigada por ter, sabe, aceitado sair comigo de novo.


Presley sorriu, olhando para ela.


— Você fala como se... — Aproximou a boca do ouvido dela porque não queria que Pipe ouvisse — Eu não tivesse te atacado, pulado em cima de você — Disse e ouviu aquela risada.

— E eu odiei, claramente — Inclinou o rosto um pouquinho, queria sentir o cheiro dela um pouco mais, não devia fazer mal — Quer que eu te pegue que horas?

— Às onze, está bom? — Os olhos de Presley identificaram dois perfumes que conhecia bem no porta-treco do carro.

— Está ótimo, mas aviso quando estiver vindo.

— Comprou um para você também? — Eram duas miniaturas, uma de Miss Dior, o mesmo que Presley usava, e outra de Coco Mademoiselle.


Hanni ficou levemente vermelha.


— Eu... gostei mesmo de como eles cheiram juntos.

— Fico com este — Presley pegou o Mademoiselle e deixou um beijo no rosto de Hanni — Sei que você tem outro em casa que vi.

— Eu... tenho, mais uns dois — Sentiu o rosto ardendo pelo beijo dela. Quando aquele jogo havia virado tanto?

— Isso que vi. Me deixa pegar a criança.


Desceu, pegou a criança, despediu-se de Pipe, despediu-se de Hanni, e Leo acabou cruzando com Hanni enquanto ela manobrava para sair. Ele parou, esperou que ela fizesse a manobra, e eles se olharam rapidamente quando os carros se cruzaram. Então, Hanni partiu, Leo entrou na garagem e surgiu na cozinha uns minutos depois. Presley já estava cuidando do jantar.


— Aconteceu alguma coisa com o seu carro?

— Não, eu só não estava me sentindo muito bem para dirigir. O dia foi meio tenso.

— Hum, era a Hanni no Jimny?

— Sim, era ela. Hanni me ajudou com a Aika, foi pegá-la na escola, eu acabei saindo tarde.

— Então, vocês fizeram as pazes?


Presley olhou de lado para ele.


— Não havíamos brigado.


E ele abriu um sorriso.


— Eu não sou bobo, Pres. Você não queria ir encontrar com ela nem arrastada! — Ele tirou o terno, subiu as mangas e veio ajudar Presley a cortar a salada.

— Foi só um... desentendimento.

— Sei. Quando você vai me apresentar para ela?


Presley olhou para ele novamente, quase cortando o próprio dedo.


— Você quer conhecê-la?!

— Bem, ela está fazendo parte da vida da Aika já, eu acho que preciso conhecê-la, não? É uma amiga sua.

— Ela... ela é minha amiga — Amiga com todas as letras agora, já que Hanni realmente tinha uma namorada. Como pôde imaginar o contrário? Uma mulher como Hanni jamais estaria disponível. Havia sido inocente pensar assim — Vou convidá-la para jantar conosco qualquer dia.

— Faz isso, ela parece ser bem interessante. Quer que eu te ajude aqui ou vá colocando a Aika no banho?

— Você... pode cuidar da Aika.

— Ok — Deixou um beijo no rosto de Presley, lavou as mãos e foi cuidar de sua filha.


E Presley parou um pouco, respirando fundo. Além de ter se formado como uma ótima dançarina, a Escola de Artes de Seul também a havia transformado em uma ótima atriz. Presley atuava com Leo e havia atuado com Hanni. Tapeou o próprio esterno por um instante, ouvindo o reverberar que o toque causava, tentando se acalmar um pouco.


Uma namorada. Ela estava comprometida. O que aquilo significava? Seu coração apertava só de pensar na ideia de ver Hanni com outra pessoa.


— Você está uma bagunça, Park Presley — Falou consigo mesma, em coreano, que Leo não compreendia — E se ela estiver lá amanhã?


Se ela estivesse lá, teria que conhecê-la. Tal como Leo teria que conhecer Hanni em algum momento, já que haviam conversado, se entendido e combinado de permanecerem na vida uma da outra como amigas. Respirou fundo mais uma vez, então colocou a mão no bolso da sua calça, pegando o pequeno vidro de Coco Mademoiselle. Abriu, sentiu o cheiro, e ouviu Leo falando com Aika, que estava mostrando a coreografia que aprendeu.


Kkochyanggiman namgigo gatdanda — Repetiu em coreano.


E eu deixei para trás, apenas uma fragrância de flores... Era o que a letra dizia.


Presley sentiu exatamente assim. Hanni havia ressurgido, dito o que queria e se retirado do que elas sequer haviam iniciado, deixando para trás somente o perfume dela.


E Presley havia aceitado assim.

 

Notas da Editora: Ana Reis


Oi, povo meu! Saudades! Demorei, mas cheguei. 😍


Então, será por quanto tempo teremos Presnni insistindo apenas em uma amizade? Apostas? 🙃


Beijos! Voltamos dia 30/10.

 

E se você ainda não adquiriu Estilazo, não perca a oportunidade. Afinal, é uma história inédita de nosso site, escrita em 25 dias, com 21 capítulos, 360 páginas.












417 visualizações21 comentários

Posts recentes

Ver tudo

21 Comments


sylber1011
sylber1011
Oct 31, 2023

Uhummm

Like

Adriana Evangelista
Adriana Evangelista
Oct 27, 2023

Uma cena simples!? Nadica de nada! Cheia de emoções implícitas e explícitas. Hanni e Presley lutando para mostrar quem finge melhor....kkkk

Like
Tessa Reis
Tessa Reis
Oct 30, 2023
Replying to

Me diz se não virou uma batalha de atrizes hahaha (tadinha da minha Hanni, tá toda insegura 😞


Like

Kryp Rosa
Kryp Rosa
Oct 27, 2023

Eu aposto mais 3 capítulos pra elas estarem se pegando de novo 😂

Like
Tessa Reis
Tessa Reis
Oct 30, 2023
Replying to

a temporada de apostas aberta novamente hahaha

Like

Samily Lima
Samily Lima
Oct 27, 2023

Hahahahaha aiai, to doida p ver esses encontros de casais 😏 quero só ver ate onde vai essa amizade de 14 cores

Like
Tessa Reis
Tessa Reis
Oct 30, 2023
Replying to

Vc IMAGINA o clima agradável que seria essa mesa 😝

Like

Jaqueline Almeida
Jaqueline Almeida
Oct 26, 2023

Aí meuuu Deus, alguém tira a Alexia e Leo da jogada, Tessa?

Like
Tessa Reis
Tessa Reis
Oct 30, 2023
Replying to

Calma que nossas garotas estão se preparando para tal, fé nelas, vai rolar, heuin, vai rolar 🤌🏼

Like
bottom of page